Blog: Mentes mineradoras
Share to Facebook Share to Twitter Share to Twitter More...

Conheça o peneiramento de minérios a umidade natural

A água é um recurso cada vez mais restrito para a mineração e a pressão ambiental só vem aumentando em função também dos impactos ambientais associados às barragens de rejeitos. Dentro deste contexto, o peneiramento de minérios a umidade natural, ou seja, sem injeção de água, já é uma realidade no Brasil. Confira abaixo alguns pontos a este respeito.

Redução de água em escala industrial é complexa, porém factível. O peneiramento de minerais com certos teores de umidade é extremamente complexo, visto que o material se torna mais adesivo e aglomerante. Porém através de testes de laboratório é possível encontrar a combinação perfeita de fatores que aumentam a estratificação do material, favorecem o desentupimento das telas e aumentam a eficiência de classificação. Testes de peneiramento em peneiras “sem-fim” determinam a correta área de peneiramento necessária para determinada aplicação. Ademais, peneiras totalmente reguláveis possibilitam alterar facilmente a inclinação do equipamento, a rotação e a amplitude de trabalho; e modificar os tipos de telas que serão utilizadas nos equipamentos, visando determinar a escolha dos parâmetros de peneiramento correto para determinada aplicação.

Ganhos oriundos do peneiramento a umidade natural: o processo a seco, conforme pode ser definido, traz benefícios, tanto referente a novos investimentos (CAPEX), quanto despesas operacionais (OPEX). A eliminação de água do processo reduz o consumo de energia despendido com o acionamento das bombas, diminui de forma geral os desgastes e níveis de oxidação, reduzindo proporcionalmente os custos de manutenção. Vale ressaltar que a adoção destes tipos de peneiramento elimina totalmente a necessidade da construção de barragens de rejeito, reduzindo os impactos na flora e fauna no entorno da mina.

Fatores que influenciam peneiramento a umidade natural em escala industrial: peneiramento elíptico, alta aceleração e combinação de telas apropriadas são os fatores chave no peneiramento a umidade natural, isso relacionado ao processo de classificação do minério de ferro. Em condições normais uma peneira geralmente opera em torno de 880 rpm com uma aceleração de quatro vezes a aceleração da gravidade. Os testes demonstram que um aumento da rotação para 950 rpm incrementou a taxa de alimentação em 10%. Em 1.000 rpm o ganho foi de 25%, até um incremento de 1.040 rpm onde a capacidade de peneiramento teve um incremento de 50% com relação ao valor inicial.


Blogger

Metso Brasil

Metso no Twitter