Blog: Mentes mineradoras
Share to Facebook Share to Twitter Share to Twitter More...

O que você não vê pode prejudicar seu moinho

Não permita que defeitos ocultos interrompam o funcionamento do seu moinho. Muitas vezes, o moinho parece estar funcionando sem problemas até uma grande falha ocorrer. Entretanto, com o tempo, surgem problemas decorrentes do uso e desgaste de seu moinho que não são facilmente visíveis.

Desalinhamentos, engrenagens e pinhões danificados, desgastes, vazamentos, falhas estruturais, etc., podem interromper suas operações muitas vezes de forma inesperada. Quando somos pegos de surpresa o dano pode ser exponencialmente pior e provocar um efeito cascata nas operações. Abaixo estão descritos três problemas comuns e inspeções recomendadas que podem ajudar você a identificar falhas com antecedência e alterar o destino de suas operações. 

Trincas nas engrenagens e pinhões

Problema: Podem aparecer pequenas trincas nas engrenagens e pinhões que, se não forem detectadas no início, poderão se agravar cada vez mais até causar o rompimento do dente.

Inspeção sugerida: Inspeção por Partículas Magnéticas, também conhecida como MPI, que consiste num ensaio não destrutivo para descobrir descontinuidades superficiais em materiais ferromagnéticos. Desta forma, por exemplo, uma trinca encontrada numa engrenagem poderá ser aliviada por esmerilhamento leve e um problema no dente pode ser amenizado A engrenagem pode ser capaz de funcionar com ou sem reparo, ou exigir inversão ou substituição. Encontrar e corrigir problemas antecipadamente evita desgaste indesejado, dentes quebrados ou até mesmo falha total da engrenagem e do pinhão. O ensaio por Partículas Magnéticas deve ser feito em engrenagens e pinhões completamente limpos. Isso também facilita que um especialista treinado realize uma inspeção visual mais completa para descobrir outros problemas causados ​​por desgaste, contaminação ou falta de lubrificação. Formas de inspeção que não requerem limpeza dificultam a detecção destes tipos de problemas.

Desgaste causado pela circulação de polpa sob o revestimento

Problema: Em aplicações de moagem úmida, a polpa pode infiltrar-se sob o munhão ou revestimentos do corpo e começar a danificar os componentes do moinho, principalmente se o revestimento de borracha estiver danificado. Isso muitas vezes não é detectado por longos períodos de tempo, o que causa um desgaste excessivo nos componentes rotativos do moinho.

Inspeção sugerida: Para evitar uma potencial falha por desgaste excessivo, é importante localizar a polpa acumulada atrás dos revestimentos. Uma maneira rápida e fácil de se fazer isso é com o ensaio por ultrassom (UT).  O UT é um método usado para medir a espessura de um componente estrutural do moinho como tampa, munhão ou corpo. Os operadores podem determinar a localização e a extensão das áreas de desgaste. A vantagem de se usar o UT é que ele detecta o desgaste dentro do moinho sem precisar remover os revestimentos, o que minimiza o tempo de parada necessário já que a inspeção é feita do lado de fora do moinho.

Falha estrutural em componentes do moinho

Problema: Em um ano, o moinho passa por um número considerável de rotações. Por isso, trincas podem se desenvolver por fadiga ao longo do tempo. Se não forem detectadas, essas trincas crescerão até causar falha nos componentes. Avaliar as causas do surgimento das trincas é tão importante quanto detectá-las.

Inspeção sugerida: Normalmente utiliza-se o ensaio de Partículas Magnéticas para encontrar trincas, ao passo que o ensaio por Ultrassom é usado para encontrar e localizar desgaste ou danos em componentes rotativos. Uma vez concluídas as inspeções, uma avaliação estrutural pode ser necessária. Por sua vez, esta pode ser feita através da Análise de Elementos Finitos (FEA). A FEA é uma ferramenta de engenharia usada para calcular tensões e deflexões dentro de uma estrutura, com a qual uma geometria complexa é dividida em elementos simples menores, e os resultados são então combinados para se gerar uma imagem completa. Na maioria dos casos, e principalmente nos moinhos mais novos, as falhas estruturais não são causadas por falha de projeto, mas sim por sobrecarga do moinho ou por desgaste. Uma avaliação FEA determina se o componente desgastado está muito fino e se deve ser reparado antes que ocorram danos adicionais. Da mesma forma, a carga do moinho pode estar excessiva e precisar ser reduzida. A FEA também pode ajudar a determinar que opções podem funcionar como correção temporária enquanto se espera uma peça de substituição.

Olhar para além do óbvio

Apesar de importantes, as inspeções visuais geralmente não fornecem um quadro completo da condição do seu moinho. Por isso, deve-se usar métodos não destrutivos adicionais para encontrar defeitos que poderiam facilmente passar despercebidos. Uma compreensão clara da integridade completa de seu moinho ajudará a planejar melhor a manutenção e a evitar tempo de inatividade e custos indesejados. Para saber mais sobre os diferentes pacotes de inspeção de moinhos e opções de teste da Metso, clique aqui.


Blogger

Moris Fresko

Diretor, Engenharia Global, Moagem

Metso no Twitter