Blog: Results

Britador parado é custo e não investimento

Quanto custa o tempo de parada de um britador? Depende. Se ela é uma paralisação programada, estamos falando de uma operação controlada, como a troca de materiais de desgaste numa ação de manutenção. Já a paralisação não programada é um problema que afeta diretamente a produtividade da mina ou da pedreira. Paradas programadas são feitas exatamente para evitar isso e incluem um roteiro de ações conhecidas.

De forma geral, o custo de parada envolve uma conta rápida:

Multiplique o valor da tonelada de produto britado pela quantidade de horas de paralisação.

É claro que um processo organizado previamente reduz o ônus da parada. Se a planta de processamento tiver pilhas pulmão, ou seja, um material britado de reserva, os efeitos de uma paralisação, mesmo que imprevista, podem ser minimizados, e não afetar as etapas subsequentes. O cenário muda, no entanto, em casos de incidentes inesperados que afetam diretamente o britador.

"Paradas podem ter mais de uma causa"

A entrada de materiais indesejáveis no equipamento. Partes metálicas de escavadeiras, usadas na fase anterior de retirada do minério, podem causar a parada da britagem e representar um risco para os operadores. Em minas subterrâneas, metais que se desprendem do sistema de proteção interna dos túneis também podem seguir para a britagem com o minério escavado.

 

Checklist: 7 indicadores de baixa performance
Faça o download desse checklist e saiba mais.

 

Independente do tipo de interrupção, a parada de produção pode criar um efeito dominó. Na verdade, aumenta, principalmente se o componente danificado não for de reparo fácil ou se a peça em questão não estiver no estoque estratégico da mineradora ou pedreira. Pode piorar se o fornecedor de serviços não for ágil, ampliando o efeito sobre a produtividade.

A parada também pode acontecer em função de um erro humano, principalmente em operações onde a automação ainda é restrita e exige iniciativas manuais. Se a britagem é automatizada, mas a mão de obra não tem um treinamento adequado, as paradas indesejadas são potenciais pela falta de um ajuste fino entre a máquina e o operador. Pra resumir: a parada do britador pode acontecer por diversas razões, mas se ocorrer de forma não programada, a conta final será infinitamente maior.

Quatro dicas para uma parada programada eficiente

  • Planeje, compartilhe e execute: pequenos ajustes no planejamento podem fazer a diferença e reduzir o tempo de parada. Planejar é saber que todos os recursos – pessoas, equipamentos, ferramentas – são adequadas. Antes da execução, é importante compartilhar o planejamento com a equipe e responder a todas as dúvidas. Quando as decisões de última hora são eliminadas, ganha-se em segurança e tempo de execução da parada.
  • Registre o desempenho de sua parada: avalie sua parada programada e entenda onde estão os gargalos. Isso pode ser feito, inclusive, com a filmagem de cada etapa, permitindo a análise posterior dos gargalos.
  • Avalie suas ferramentas: a manutenção em britadores pode ser perigosa se as ferramentas apropriadas não forem utilizadas. As observações das equipes de manutenção podem ser usadas também para criar um processo otimizado e seguro.
  • Reavalie para melhorar: mesmo uma parada programada bem sucedida não é o final do processo. Analise o que foi planejado e o que de fato foi executado em campo. Identifique os gargalos e ouça a opinião dos profissionais envolvidos na execução. Sempre há margem para melhorias.

A sua operação acaba sendo paralisada fora do planejado? Siga as nossas dicas para reverter este quadro.


Podemos ajudá-lo?

Blogger

Metso Brasil

Metso no Twitter