Blog: Results
Share to Facebook Share to Twitter Share to Twitter More...

Um sistema de britagem precisa ser atualizado?

Pense numa operação que existe há 40 anos e que tenha outros 20 pela frente. Vale a pena substituir o britador por um equipamento moderno e ganhar em produtividade, segurança e manutenção? Com certeza.

Vale destacar que a decisão de substituir um sistema de britagem em operação há décadas pode ser definida a partir de uma informação que não está na planta de processamento. Qual é o tempo de vida que a mineração ou pedreira têm pela frente?

Agora, da mesma forma que a mineradora ou pedreira definiu sua planta de britagem original, ela poderá avaliar qual é a melhor tecnologia que deve substituir a geração anterior. Mas com vantagens adicionais.

O conhecimento sobre as características do minério explorado, por exemplo, são mais consistentes, inclusive as mudanças em teor e qualidade. Os requerimentos de produção e de manutenção também podem pautar uma escolha que eleve os padrões atuais e ainda considere prováveis expansões. O cuidado com meio-ambiente – equipamentos modernos são mais sustentáveis – fazem parte dos benefícios da atualização de sistemas do britador.

Design racionaliza manutenção pela parte de cima

As novas gerações de britadores melhoraram, a começar pelo design mais compacto, pelo uso de menos aço, sem perder a capacidade de processamento em relação aos mais antigos. Equipamentos modernos também incorporam componentes com vida útil mais longa e cuja instalação foi otimizada. É o caso de peças de desgaste mais específicas para o tipo de minério britado. A mineração ganha em confiabilidade e os procedimentos de manutenção tornam-se mais simples.

 

Checklist: 7 indicadores de baixa performance
Faça o download desse checklist e saiba mais.

 

O acesso ao britador, aliás, é completamente diferente. Nas gerações mais antigas isso acontece por baixo do equipamento, o que aumenta a possibilidade de acidentes. O design dos equipamentos modernos inverteu essa lógica. As intervenções, sejam programadas ou não, são feitas pela parte superior e com interferência humana reduzida. Adicionalmente, os procedimentos de manutenção podem ser registrados passo a passo pelo próprio sistema da máquina, criando históricos que ajudam na melhoria dos procedimentos.

Automação garante operação no limite máximo da máquina

atualização dos sistemas do britador leva a um processo produtivo seguro. Não estamos falando apenas da própria máquina, que emite alertas, protegendo-se de procedimentos inadequados, mas do operador em si. Os dados dos sensores permitem identificar exatamente qual é o problema e a automação sugere decisões precisas de como corrigi-lo. Com isso, o operador ganha suporte em tempo real e sente-se mais seguro, inclusive no caso de realmente acionar a área de manutenção.

Além de seguro, o britador também pode trabalhar com os limites máximos de produção, diferentemente do controle manual. Sem automação, o operador nunca irá ultrapassar o que ele considera o limite da máquina, com receio de causar paradas não programadas. Isso limita a produtividade do sistema de britagem, mesmo na nova geração.

Quer saber mais sobre o upgrade de equipamentos? Clique AQUI e veja um caso real de melhorias 


Podemos ajudá-lo?

Blogger

Metso Brasil

Metso no Twitter