mar 2, 2018 Mineração blog

Britador parado é custo e não investimento

Metso Brasil
Metso Brasil
Quanto custa o tempo de parada de um britador? Depende. Se ela é uma paralisação programada, estamos falando de uma operação controlada, como a troca de materiais de desgaste numa ação de manutenção. Já a paralisação não programada é um problema que afeta diretamente a produtividade da mina ou da pedreira. Paradas programadas são feitas exatamente para evitar isso e incluem um roteiro de ações conhecidas.
 Paradas programadas de manutenção nos britadores são feitas para evitar paradas inesperadas
Paradas programadas de manutenção nos britadores são feitas para evitar paradas inesperadas

 

De forma geral, o custo de parada envolve uma conta rápida:

Multiplique o valor da tonelada de produto britado pela quantidade de horas de paralisação.

É claro que um processo organizado previamente reduz o ônus da parada. Se a planta de processamento tiver pilhas pulmão, ou seja, um material britado de reserva, os efeitos de uma paralisação, mesmo que imprevista, podem ser minimizados, e não afetar as etapas subsequentes. O cenário muda, no entanto, em casos de incidentes inesperados que afetam diretamente o britador.

 

"Paradas podem ter mais de uma causa"

 

A entrada de materiais indesejáveis no equipamento. Partes metálicas de escavadeiras, usadas na fase anterior de retirada do minério, podem causar a parada da britagem e representar um risco para os operadores. Em minas subterrâneas, metais que se desprendem do sistema de proteção interna dos túneis também podem seguir para a britagem com o minério escavado.

 

Checklist: 7 indicadores de baixa performance
Faça o download desse checklist e saiba mais.

 

Independente do tipo de interrupção, a parada de produção pode criar um efeito dominó. Na verdade, aumenta, principalmente se o componente danificado não for de reparo fácil ou se a peça em questão não estiver no estoque estratégico da mineradora ou pedreira. Pode piorar se o fornecedor de serviços não for ágil, ampliando o efeito sobre a produtividade.

A parada também pode acontecer em função de um erro humano, principalmente em operações onde a automação ainda é restrita e exige iniciativas manuais. Se a britagem é automatizada, mas a mão de obra não tem um treinamento adequado, as paradas indesejadas são potenciais pela falta de um ajuste fino entre a máquina e o operador. Pra resumir: a parada do britador pode acontecer por diversas razões, mas se ocorrer de forma não programada, a conta final será infinitamente maior.

Quatro dicas para uma parada programada eficiente

  • Planeje, compartilhe e execute: pequenos ajustes no planejamento podem fazer a diferença e reduzir o tempo de parada. Planejar é saber que todos os recursos – pessoas, equipamentos, ferramentas – são adequadas. Antes da execução, é importante compartilhar o planejamento com a equipe e responder a todas as dúvidas. Quando as decisões de última hora são eliminadas, ganha-se em segurança e tempo de execução da parada.
  • Registre o desempenho de sua parada: avalie sua parada programada e entenda onde estão os gargalos. Isso pode ser feito, inclusive, com a filmagem de cada etapa, permitindo a análise posterior dos gargalos.
  • Avalie suas ferramentas: a manutenção em britadores pode ser perigosa se as ferramentas apropriadas não forem utilizadas. As observações das equipes de manutenção podem ser usadas também para criar um processo otimizado e seguro.
  • Reavalie para melhorar: mesmo uma parada programada bem sucedida não é o final do processo. Analise o que foi planejado e o que de fato foi executado em campo. Identifique os gargalos e ouça a opinião dos
  • profissionais envolvidos na execução. Sempre há margem para melhorias.

 

A sua operação acaba sendo paralisada fora do planejado? Siga as nossas dicas para reverter este quadro.

 

Podemos ajudá-lo?