Empresa no interior paulista confirma redução de impacto proporcionado pela tecnologia e contabiliza ganhos com manutenção do caminhão, conforto do motorista e otimização da caçambada na pré-britagem.

Capítulo 1

A Pedreira Borborema é recordista em utilização do revestimento de borracha Trellex, da Metso:

A Pedreira Borborema é recordista em utilização do revestimento de borracha Trellex, da Metso: dois caminhões de sua frota têm o material em suas caçambas há cinco anos. Sem trocas no período. Produtora de agregados minerais para a indústria da construção civil, a empresa está a 400 km da capital paulista e tem métricas consistentes sobre o uso do revestimento, incluindo redução de custos. Segundo a empresa, o material deve durar ainda mais dois anos. A contabilidade da produtora de agregados confirma a estimativa média do produto quando aplicado em campo, ou seja, pelo menos quatro vezes mais durável do que os revestimentos tradicionais.

Além da durabilidade, a Borborema registra outros ganhos na operação diária: a maior agilidade no ciclo de carregamento. Isso acontece porque os operadores das escavadeiras sentem-se mais confiantes para descarregar rochas brutas com agilidade, sem se preocupar com o impacto na caçamba dos caminhões revestidos com o Trellex. Estamos falando de básculas com 16 m³ de capacidade, que são abastecidas por escavadeiras de 36 toneladas, dotadas de conchas de 2,1 m³. Oswaldo Nogueira Sigolo Filho, gerente da Pedreira Borborema, é quem acompanha o desempenho dos equipamentos e quem centraliza os dados da frota.

Segundo ele, os caminhões revestidos com Trellex são os menores para operar em conjunto com as escavadeiras de 36 toneladas, tornando a absorção de impactos primordial para a segurança e agilidade do carregamento. “É padrão da operação fazer a primeira caçambada com material mais fino, formando uma camada protetora para a báscula. Em seguida, despejam-se as rochas brutas. Sem os revestimentos Trellex para absorção de impacto, isso não evitaria o desgaste prematuro de componentes do caminhão, como o feixe de molas”, salienta.

Estudos da Metso mostram que o Trellex absorve de 50% a 90% da energia do impacto durante o carregamento. Isso reduz vibrações, transmitidas para o chassi e demais componentes da suspenção do caminhão, como amortecedores, embuchamentos e rolamentos. O motor, onde estão os componentes mais sensíveis do equipamento, também é aliviado, assim como o motorista, que tem maior conforto na vibração e na acústica. Nos testes da Metso, a redução de ruído no carregamento e descarregamento da báscula chega a 10 decibéis, levando a operação para a faixa indicada pelas normas internacionais, de até 87 dB.

“É padrão da operação fazer a primeira caçambada com material mais fino, formando uma camada protetora para a báscula. Em seguida, despejam-se as rochas brutas. Sem os revestimentos Trellex para absorção de impacto, isso não evitaria o desgaste prematuro de componentes do caminhão, como o feixe de molas”, salienta.
Oswaldo Nogueira Sigolo Filho, gerente da Pedreira Borborema

Capítulo 2

Segunda geração do Trellex apresenta melhoria na vida útil

Segunda geração do Trellex apresenta melhoria na vida útil

Na Pedreira Borborema, os caminhões estão equipados com a segunda geração do revestimento Trellex, que apresenta melhorias em relação aos dados apresentados acima e correspondentes à primeira geração. Entre elas está a maior vida útil, já medida e atestada pela fabricante, e melhor absorção de impactos. Segundo Sigolo Filho, essas vantagens são percebidas diariamente, mas devem ser conferidas com análises dos testes de vibração que ele e sua equipe estão realizando e devem ser compilados no segundo semestre deste ano.

Paralelamente, a equipe técnica da Metso realizou escaneamento para aferir o desgaste dos revestimentos utilizados pela Pedreira Borborema. Os resultados apontaram desgaste médio de 60% durante os cinco anos de utilização. Como os revestimentos têm 100 mm – mas na área da caçamba o nível é de 60 mm, dado o desconto dos parafusos, com 40 mm de espessura – a estimativa é que ainda haja 20% de margem de desgaste para o revestimento. “Isso é suficiente para mais de dois anos de operação no volume atual da pedreira”, diz o especialista da Borborema.

Diferente dos revestimentos em aço Hardox, o revestimento de borracha Trellex é modular, ou seja, pode-se trocar apenas a área onde o desgaste é maior. No caso da Borborema, isso não foi necessário ainda, mas configura uma opção econômica para prolongar a vida útil do material e reduzir investimentos no futuro próximo.

O escaneamento realizado pela Metso mostrou que a área de maior desgaste e, portanto a que deve ser substituída primeiro, é o ponto de descarregamento. Isso era previsível, dado que é por onde passa a maior parte do material, provocando abrasão. “Nesse ponto o desgaste medido foi de 36,6 mm”, diz Douglas Andrade (cargo). Ele acrescenta que a placa central da região frontal do caminhão teve o menor desgaste medido (8mm), resultado 80% melhor do que a região de descarga.

“Nesse ponto o desgaste medido foi de 36,6 mm” Ele acrescenta que a placa central da região frontal do caminhão teve o menor desgaste medido (8mm), resultado 80% melhor do que a região de descarga.
Douglas Andrade, especialista Metso Outotec em revestimentos de caminhões

Capítulo 3

Troca modular representa ganho de tempo e mão de obra

Troca modular representa ganho de tempo e mão de obra

Para Sigolo Filho, a identificação das áreas mais desgastadas e a possibilidade de substituir apenas elas representa ganho para a Pedreira, à medida que evita a manutenção na caçamba inteira. “A substituição modular não é tão simples como a troca de uma tela de peneira Metso, mas é infinitamente mais ágil do que trocar o revestimento da caçamba inteira. Isso representa ganho de tempo e mão de obra, além do custo do material”, avalia.

Antes mesmo da instalação, a Metso disponibiliza a sua engenharia de pré-planejamento de forma gratuita, para otimizar o pedido, a compra, a entrega e a própria instalação. Com isso, a troca do revestimento da caçamba inteira dura de 32 a 72 horas e deve ser feita com supervisão da Metso e uso de uma máquina especial para soldar os 150 pinos do material. Já a troca modular pode ser realizada pelo próprio cliente em poucas horas.

“A substituição modular não é tão simples como a troca de uma tela de peneira Metso, mas é infinitamente mais ágil do que trocar o revestimento da caçamba inteira. Isso representa ganho de tempo e mão de obra, além do custo do material”.
Oswaldo Nogueira Sigolo Filho, gerente da Pedreira Borborema

Capíulo 4

Terceira geração do Trellex a caminho da Borborema

Terceira geração do Trellex a caminho da Borborema

A Borborema produz 70 mil toneladas de agregados mensalmente, mas essa média pode variar de acordo com a demanda do mercado. Com capacidade instalada para produzir até 100 mil t/m, o gestor e sua equipe já preparam outro caminhão basculante, da mesma capacidade de 16 m³, para integrar a frota. Esse veículo receberá a terceira geração dos revestimentos Trellex, da Metso, cuja durabilidade prevista é igual ou superior à da segunda geração.

Enquanto a novidade não é aplicada, Sigolo Filho aproveita o caminhão sem revestimento para comparar com os outros dois equipados com a segunda geração do Trellex. A intenção, segundo ele, é identificar os segundos ou minutos ganhos em cada ciclo de carregamento. “Acredito haver diferença, principalmente por parte da confiança do operador da escavadeira, que se sente mais confortável ao descarregar na báscula revestida com o Trellex”, diz.

Questionado sobre possíveis prejuízos da tecnologia, ele não identificou algum e salientou a indiferença no deslize de material. “Esses caminhões realizam o carregamento de rocha bruta, na pré-britagem, e, portanto, não há a preocupação de sedimentação de material, como ocorre com aqueles que transportam materiais mais finos”, diz. “Mesmo assim, não percebemos prejuízos, que poderiam ocorrer com a presença de finos no processo ou quando utilizamos os caminhões esporadicamente para transportar bica corrida que é usada em algum reparo de solo”, conclui.

“Acredito haver diferença, principalmente por parte da confiança do operador da escavadeira, que se sente mais confortável ao descarregar na báscula revestida com o Trellex”
Oswaldo Nogueira Sigolo Filho, gerente da Pedreira Borborema