Share to Facebook Share to Twitter Share to Twitter More...

Gerdau aumenta vida útil de grelhas com tecnologia da Metso

Componente inédito na América do Sul aumentou a duração das peças em 30% e diminuiu em 40% o tempo de manutenção

Considerada a maior recicladora de sucata ferrosa da América Latina, a Gerdau possui quatro operações em território nacional responsável por transformar sucata em aço. A usina Riograndense, localizada em Sapucaia do Sul, RS, é uma das unidades que realiza esse tipo de processo. A usina optou por otimizar a operação de seu triturador – conhecido tecnicamente como shredder – com o auxílio de tecnologias da Metso. A novidade envolve a troca de grelhas convencionais por peças duplas, com a meta de ampliar a vida útil dos componentes fundidos e reduzir a necessidade de troca ou manutenção.

O projeto piloto, que teve início em julho de 2017 e foi finalizado no começo desse ano, é considerado uma iniciativa inédita na América do Sul. O teste gerou novas opções para a companhia, que optou por estudar novas configurações das peças, como os martelos do triturador – que golpeiam e cortam a sucata.

O resultado foi um ganho de 30% na vida útil das grelhas. Com os componentes convencionais, o triturador reciclava cerca de 180 mil toneladas de sucata antes de ser paralisado para manutenção ou trocas. Com as grelhas duplas, a unidade atingiu 230 mil toneladas. A nova configuração também reduziu o tempo de reposição de peças, que antes levava uma semana, em 40%.

Segurança e agilidade

A maior agilidade nas trocas reduziu o tempo de paralização da unidade para apenas três dias, o que trouxe benefícios para toda a cadeia. “Trata-se de uma operação crítica, de alta exposição de equipes. Encurtá-la nos permite garantir mais segurança aos envolvidos no processo”, aponta André Stefenon, Facilitador de Melhorias na Gerdau.

Com os dados obtidos, a Gerdau Riograndense passa a servir de modelo para outras plantas, como Araçariguama, em São Paulo, e Cosigua, no Rio de Janeiro. Ambas já adquiriam os novos componentes da Metso e vão instalá-lo no segundo semestre. A terceira unidade que detém um shredder é a de Recife, que já se definiu pela troca.

Equipe brasileira e suporte dos Estados Unidos

O projeto foi executado pela equipe brasileira, mas com suporte da subsidiária norte-americana da Metso. “Houve um alinhamento do projeto com o nosso time no Texas, o qual também nos forneceu projetos já existentes para as plantas América do Norte”, explica João Pensa, gerente da linha de negócio de Recycling para a América do Sul na Metso.

Ele destaca dois ganhos diretos das grelhas duplas. “Elas são peças duplicadas, o que garante uma vida útil maior. Cada peça é mais pesada e robusta, e empena menos que uma peça simples”, explica. O segundo ganho, de acordo com o executivo, é o desgaste homogêneo dos martelos, diferentemente dos projetos com grelhas simples, onde a configuração das peças leva a posições onde o desgaste é maior.

Produtos relacionados