ago 27, 2018

Suzano avança na indústria 4.0 com tecnologia Metso

Unidade de Imperatriz, no Maranhão, adota solução que antecipa falhas em processos de alta criticidade e reduz a indisponibilidade das válvulas automáticas do tipo on-off

O Grupo Suzano é um dos maiores produtores integrados de papel e celulose da América Latina, com cinco unidades industriais no Brasil. Uma delas, a de Imperatriz, no Maranhão, é um dos campos avançados da empresa na era da indústria 4.0. Todo o parque de instrumentos e medidores considerados de alta criticidade e de criticidade de alto impacto é monitorado continuamente. A novidade na empresa é o uso de inteligência embarcada em parte das válvulas automáticas on-off, que passaram a ter um diagnóstico avançado e online. O resultado é a antecipação de falhas na planta, com foco na manutenção preditiva.

“Temos três tipos de válvulas: as automáticas de controle, as automáticas on-off e as motorizadas. As primeiras já possuem inteligência e permitem a manutenção preditiva. No caso das motorizadas, a manutenção é preventiva. Nosso trabalho concentrou-se nas do tipo on-off, com a substituição de modelos convencionais por dispositivos com diagnóstico avançado”, resume Leandro Yamamoto consultor de Automação e Instrumentação da Gerência de Manutenção da Suzano. Desde o ano passado, o especialista coordena a mudança para adoção de válvulas on-off com inteligência embarcada.

Diagnóstico avançado melhorou manutenção preditiva

O trabalho de Yamamoto tem a meta de reduzir a indisponibilidade das válvulas automáticas on-off consideradas de alta criticidade, ou seja, que podem influir no processo e no custo da planta. De acordo com ele, esse tipo de válvula representa 8% do parque instalado de dispositivos on-off da unidade de Imperatriz. Hoje, com o diagnóstico avançado, Yamamoto estima que é possível antecipar 100% das falhas das fases de cozimento e de evaporação na produção de celulose.

Para chegar ao nível de excelência atual, a equipe da Suzano baseou-se no histórico de falhas em válvulas automáticas do tipo on-off, concentrando-se no grupo de alta criticidade. O levantamento envolveu aspectos diretos e indiretos, incluindo informações como o consumo de kits de reparo e a redução da vida útil de componentes periféricos. “Já temos uma manutenção eficiente, mas identificamos a oportunidade de melhorias, principalmente nos dispositivos instalados em ambientes corrosivos e de maior vibração na planta”, explica o especialista.

Válvulas on off críticas foram priorizadas no processo

A escolha da plataforma Metso Axiom Hart aconteceu pela capacidade da tecnologia em apurar e enviar dados como a totalização da ciclagem e informações sobre pressão. “Em função da pressão, podemos verificar problemas em elementos filtrantes e a manutenção passa a envolver dispositivos periféricos às válvulas automáticas, antecipando falhas”, argumenta Yamamoto. Ele destaca que a unidade, inclusive, estabeleceu um novo plano de manutenção – agora mais preditiva - para os elementos filtrantes.  

Com a adoção de válvulas automáticas inteligentes, a Suzano não se restringe somente às inspeções sensitivas de campo, que são capazes de identificar falhas, porém em estágios mais avançados. Hoje, a unidade consegue alinhar as paradas para manutenção com as paralisações normais como as de lavagem de caldeiras. Ou seja, não é preciso esperar as paradas de manutenção convencionais, o que reduz o tempo de mobilização e o custo de mão de obra envolvidos, segundo Yamamoto.

Padrão aberto, intercambiável e robustez marcam a plataforma Metso Axiom

Para Anderson Lopes, coordenador de Serviços da Metso, as válvulas automáticas on-off com diagnóstico avançado são novidades no setor de papel e celulose e a Suzano é vanguardista na adoção da tecnologia. “Os dispositivos tradicionais não tem capacidade de antever falhas, o que aumenta a importância da inspeção sensitiva dos técnicos em campo, que é externa e depende da experiência dos profissionais”, argumenta.

Além da previsibilidade de falhas, que aumenta a atuação da manutenção preditiva, a tecnologia Metso Axiom pode ser integrada a qualquer sistema de controle industrial. Com isso, cada dispositivo pode ser visualizado no painel de controle da planta. “Apenas um técnico pode supervisionar o processo, pois terá o status das válvulas na tela de seu computador na sala de controle”, exemplifica Lopes.

A terceira vantagem é o custo benefício do equipamento. O Metso Axiom tem maior resistência mecânica e eletrônica, resistindo melhor a ambientes industriais corrosivos e de muita vibração. É a prova de explosões, razão pela qual tem um histórico de aplicação em óleo e gás. “Trata-se de um dispositivo que oferece um MTBF maior, ou seja, um tempo entre falhas mais alongado do que os tradicionais com o mesmo investimento”, explica Lopes.

 

Controle foi ampliado com tecnologia Neles SwitchGuard

A adoção bem sucedida do diagnóstico avançado nas válvulas on-off também influenciou a escolha de outra tecnologia, o controlador inteligente de válvulas on/off Neles SwitchGuard, também focado na manutenção preditiva. Com a aquisição, Yamamoto avalia que 20% das válvulas on-off consideradas de alta criticidade do parque de Imperatriz passam a ter diagnóstico avançado com tecnologia Metso. “Como trabalhamos com avaliações estatísticas, esse percentual nos dá um conforto para reduzir o percentual de falhas potenciais”, finaliza.

 

Produtos relacionados