mai 20, 2020 Mineração blog

Descubra como anda o crescimento da indústria de mineração no Brasil

Quer entender o impacto da atividade de mineração e as possibilidades previstas para o setor no Brasil? Leia nosso post e conheça o que a área tem a oferecer!
Entenda o impacto da atividade mineral e as possibilidades previstas para o setor no Brasil.

O bom desempenho consistente também é acompanhado por alguns desafios, com foco no futuro, principalmente. Essas situações já têm destaque no segmento e a ideia é que se tornem ainda mais relevantes. Ao mesmo tempo, o ano de 2020 e o futuro próximo trazem novidades e mudanças que chamam a atenção.

Para entender o impacto da atividade de mineração e as possibilidades previstas para o setor, conheça o que a área tem a oferecer!

O panorama do setor na economia brasileira

Ao falar nas atividades econômicas do Brasil, é impossível não citar o crescimento da mineração como um componente essencial. Em 10 anos, o desenvolvimento da extração mineral foi de 550% no país. De 2014 a 2018, o investimento na área foi de cerca de 48 bilhões de euros, com potencial de expansão.

Com mais de 3.000 minas espalhadas pelo território nacional, o Brasil é um dos cinco maiores produtores minerais do mundo. Para conhecer melhor esse setor, veja um panorama da área!

Atividade histórica no território

A mineração no Brasil se confunde com a própria história do país. Alguns séculos após o início da colonização, a atividade mineral começou a acontecer. Foi no século XVIII em que a mineração no Brasil Colônia teve início — principalmente, em Minas Gerais.

A descoberta de ouro gerou uma verdadeira corrida para essa área, o que levou à abertura de centenas de minas. O período de 1750 a 1770 foi o mais próspero e Portugal foi o principal beneficiado. A maior parte das riquezas era enviada para a Europa, devido à condição de colônia do território.

Após a independência, no século XIX, a produção de café foi uma das maiores responsáveis pelas riquezas. Mesmo assim, desde o seu início, o setor mineral do Brasil ganhou importância.

Em 1941, ocorreu a criação da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), a primeira do Brasil. A chegada da indústria deu impulso ao setor de siderurgia, o que estimulou ainda mais a mineração. Nos anos 1990, a maior abertura do Brasil ao comércio internacional permitiu que a atividade recebesse um impulso em grandes proporções. Hoje, o segmento é um dos mais importantes para a economia brasileira.

Variedade de produção

Segundo o mais recente Anuário Mineral Brasileiro, publicado em 2018 com dados de  2017, a produção brasileira de minerais metálicos se destaca entre as demais. Em relação ao total, os metálicos representam 80% de tudo o que é produzido e comercializado. Dentro dessa categoria, a diversidade também se mostra elevada. Os principais metais extraídos incluem:

  • ferro: 71,1%;
  • cobre: 9,4%;
  • ouro: 8,9%;
  • alumínio: 3,7% e
  • níquel: 2,5%.

Os 11 principais minérios metálicos deram origem a uma produção no valor de R$ 88,5 bilhões. No ano em questão, as exportações representaram 41,7 bilhões de dólares e as importações corresponderam a 6,8 bilhões — o que dá origem a uma balança comercial positiva.

Em relação aos valores exportados, o ferro, alumínio e cobre ocuparam as três primeiras posições. Quanto aos países, a China, Estados Unidos, Japão, Países Baixos e Argentina foram os maiores compradores.

Influência no PIB e na economia brasileira

O Produto Interno Bruto (PIB) conta com números interessantes quando voltamos nossos olhos para a mineração. Segundo dados do Ministério de Minas e Energia, em 2017, o setor teve 4,69% de participação em todas as riquezas geradas no país. O número representa um aumento em relação aos dois anos anteriores, já que em 2015 a participação foi de 4,02% e em 2016 foi de 2,68%.

Em relação às exportações, em 2018 as vendas do setor mineral somaram 49,7 bilhões de dólares e as importações 26,4 bilhões de dólares. Como o valor exportado total foi de 239,5 bilhões de dólares, o segmento mineral respondeu por quase 21% da balança comercial.

Os impactos na economia não decorrem apenas do PIB e das vendas diretas já que também existe a chamada Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM), concedida às cidades e regiões onde ocorre a atividade mineral. Em 2017, o total arrecadado ultrapassou R$ 1,5 bilhão. Esse valor serve para custear a infraestrutura pública (como hospitais, vias municipais e serviços essenciais) e afeta, positivamente, a economia.

Atividade fornecedora para diversos setores

Um dos destaques da mineração no país é que a atividade fornece matérias-primas para vários segmentos da economia. Basicamente, as siderúrgicas e metalúrgicas são altamente dependentes das cargas de minérios, que são beneficiados e transformados nos produtos de interesse.

O segmento também interfere, indiretamente, na indústria em geral. O ramo automobilístico e a construção civil são dois bons exemplos de negócios que têm demanda de aço. Fabricantes de máquinas industriais, transportadoras em tubos e até empresas de embalagem também entram para a lista de grandes consumidores desses materiais.

Geração de empregos diretos e indiretos

Já que a atividade tem tanta influência em outros setores e na economia, outro destaque da mineração no Brasil tem a ver com a geração de empregos diretos e indiretos. Em 2017, o setor gerou 733 mil empregos diretos.

Ao total, a área é responsável por mais de 2,2 milhões de empregos indiretos. O desenvolvimento do setor, portanto, representa a criação de oportunidades e o crescimento da população economicamente ativa.

Os desafios do setor de mineração

Ao mesmo tempo em que continua em crescimento, a mineração no Brasil encara desafios. Alguns deles, inclusive, são percebidos em todo o mundo devido às mudanças que ocorrem na sociedade e na economia global.

Para ter uma ideia precisa de como o setor se posiciona nesse sentido, veja quais são os maiores desafios da mineração atualmente!

Redução de impactos ambientais

A preocupação com o meio ambiente e com a utilização de recursos é crescente, inclusive, no setor mineral. Justamente por esse motivo um dos maiores desafios tem a ver com a redução dos impactos gerados pelas atividades relacionadas. Da extração ao beneficiamento e ao descarte de rejeitos, todos os pontos interferem no ambiente.

No processo produtivo, por exemplo, é comum haver um grande consumo de água e de energia elétrica. Outros processos, como britagem, aglomeração e beneficiamento também exigem o uso de recursos. Por esse motivo, um dos objetivos consiste em diminuir os impactos negativos causados e melhorar a eficiência de uso dos recursos naturais. Assim, evitam-se o desperdício e a contaminação, ao mesmo tempo em que há bom aproveitamento de elementos.

Uso de recursos sustentáveis

Diante dessa questão, inclusive, há uma crescente exigência quanto à sustentabilidade. A ideia é fazer um uso mais consciente e responsável dos elementos, de modo a causar menos impactos danosos ao meio ambiente. Nesse sentido, é preciso incorporar os recursos e os processos sustentáveis.

A pesquisa e o desenvolvimento estão a todo vapor em busca de novos métodos que não utilizem água ou que gerem menos contaminantes, por exemplo. Para a adaptação à realidade atual, é necessário adicionar a tecnologia e outras tendências para aproveitar as oportunidades ao máximo.

Aumento de segurança da atividade

Outro ponto essencial tem a ver com a gestão de processos voltada para a segurança da mineração. Esse é um aspecto que envolve tanto o cuidado com os colaboradores quanto com o meio ambiente e comunidade no entorno.

As indústrias precisam se adaptar às novas regras e se planejar para obter certificações de qualidade e segurança. Além disso, o desenvolvimento de novos projetos tem objetivos específicos nesse sentido. É o caso de melhorar o monitoramento de barragens existentes ou mesmo evitar o tratamento de resíduos da maneira atual.

Elevação da produtividade

Ao mesmo tempo, o setor de mineração requer cada vez mais produtividade. Esse é um dos principais desafios porque deve ser equilibrado com as outras questões. Ou seja, a ideia é conseguir produzir mais, sem abrir mão da segurança e da sustentabilidade.

A área de pesquisa e desenvolvimento também está focada nesse sentido e busca meios de aproveitar ao máximo o potencial de cada mina, por exemplo. Ainda é preciso buscar meios para reduzir as perdas e obter o melhor desempenho de maneira cumulativa em cada etapa.

As tendências para 2020 e o futuro

Para vencer esses (e outros) desafios, o segmento conta com o apoio de algumas tendências e perspectivas. Elas são voltadas para os próximos anos e até mesmo décadas. Graças a essas soluções, é possível começar a vencer alguns desafios e aumentar o nível de resultados.

Na sequência, veja como promete ser o futuro da mineração e suas maiores novidades.

Mineração 4.0

A indústria 4.0 é um conceito que envolve a atividade industrial ligada ao uso ampliado e conectado da tecnologia. Como essa é uma das tendências mais evidentes para os próximos anos, há também o conceito de mineração 4.0.

Embora seja uma área muito tradicional, o setor caminha para a era digital e para a maturidade tecnológica. A ideia é implementar a tecnologia e a automação de tarefas em diversas etapas do setor mineral. Com o uso de máquinas autônomas, Big Data, Business Intelligence (BI), Inteligência Artificial (IA), Internet das Coisas (IoT) e outras alternativas, o segmento ganha contornos modernos e automatizados.

O principal objetivo é aumentar a segurança e tornar o ambiente produtivo mais adequado para os colaboradores. As atividades mais complexas ou de maior risco passam a ser executadas por máquinas, o que protege os colaboradores e ainda aumenta a produtividade.

Máximo aproveitamento nas etapas

Já que a sustentabilidade é um dos desafios ativos, é interessante poder contar com novos métodos de utilização dos recursos. Nesse sentido, uma das tendências para os próximos anos consiste no máximo aproveitamento de cada etapa.

Os finos de minério, por exemplo, podem ser utilizados na pelotização, como uma solução para diminuir as perdas. Também há a tendência de bom emprego da água, de energia elétrica e assim por diante. A ideia é obter o máximo de resultados em cada fase, o que permite aumentar a lucratividade e o retorno e diminuir os impactos ambientais.

Reutilização de rejeitos

Nessa mesma vertente, o setor tem buscado meios de recuperar os insumos e até os rejeitos. Com máxima utilização dos elementos e redução no volume de perdas, é possível garantir o melhor desempenho em todos os níveis.

Hoje, há pesquisas ligadas à biotecnologia e que envolvem o uso de bactérias para realizar uma oxidação controlada e que evita a poluição, por exemplo. Também existe a ideia de reciclagem de rejeitos, inclusive como solução ao descarte. Assim como a siderurgia favorece a transformação de escória em cimento, o setor mineral pode criar matérias-primas a partir dos resultados de processos de exploração e beneficiamento.

Eliminação do uso de barragens

Como citado anteriormente, a segurança e a proteção ao meio ambiente são desafios e fatores primordiais na atividade atual e para os próximos anos. Por isso, a gestão de rejeitos é essencial e terá cada vez mais importância.

Além da máxima utilização desses componentes, também há uma proposta ligada à eliminação do uso de barragens. A intenção é que o setor, em determinado momento, já não dependa dessas estruturas. Há alguns avanços nesse sentido com novas propostas para que as empresas acompanhem as mudanças atuais. Para os próximos anos, a tendência é que o processo de eliminação seja acelerado.

Transparência e governança

Do ponto de vista da gestão de processos, existe uma forte perspectiva de aumento da transparência na atuação. A ideia é maximizar a governança e favorecer o controle de atividades e resultados, de maneira responsável e eficiente.

O contato com os stakeholders promete ser ainda mais intenso e aberto, com a intenção de aproximar o relacionamento e garantir um bom direcionamento. Além disso, as barreiras de comunicação também serão vencidas quanto à sociedade. Com os desafios do setor voltados para questões ambientais, pretende-se debater com a comunidade local e com a sociedade as medidas e os impactos da atividade.

O segmento de mineração no Brasil está em expansão e em transformação para atender aos novos desafios. Como é uma das áreas mais importantes para a economia, especialmente em termos internacionais, a atividade continuará a ter relevância e, por isso, merece sua atenção!

Para acompanhar todas as novidades sobre o setor e receber novidades como essa direto em seu feed, curta nossa página no Facebook e nos siga no Instagram!

Quer ajuda? Entre em contato.
Suas informações estão seguras. Verifique nosso aviso de privacidade para saber mais detalhes aviso de privacidade.
Muito obrigado!
Nós entraremos em contato em breve. Poderá enviar uma nova solicitação após 15 minutos.
Quer ajuda?